Evandir aos artistas: “Já é tempo de colher os frutos”

Aos artistas do Ministério de Música e Artes de São Paulo, o coordenador estadual Evandir Izaías Carneiro, declara: “é tempo de colher os frutos”. Na última pregação deste sábado (28/07), o coordenador leva os presentes a refletir sobre a passagem do Evangelho de Marcos que fala sobre “o grão que germina sozinho” (Mc 4, 26-29). “Saiba, artista, que o teu ofício dentro do Ministério em um Grupo de Oração é sagrado!”, frisa.

Ele explica que São Marcos compara o Reino de Deus ao homem que lança a semente na terra. Na passagem, “este homem sou eu e você, lançando a semente na terra”. Na reflexão sobre a palavra, o pregador pergunta aos presentes “quantas sementes você já lançou sobre a terra, sobre a vida de alguém? O Senhor nos chama a ser sal da terra e luz do mundo. Lembre-se”.

Parafraseando o provérbio que diz “Aqui se planta, aqui se colhe”, ele recorda que se a semente for boa, os frutos serão bons. Entretanto, “lançar a semente pode ser opcional, mas a colheita é obrigatória”. O coordenador estadual lembra que, “semear requer trabalho, requer o tempo do fruto. Além disso, é necessário respeitar o clima, o tempo certo e o momento”.

Ao citar o versículo 27 da passagem, que diz “Dorme, levanta-se, de noite e de dia, e a semente brota e cresce, sem ele o perceber (Mc 4, 27)”, Evandir exorta aos artistas a não olhar o que deu errado, mas olhar para os frutos que já podem ser colhidos nas dioceses. “Precisamos ter uma visão magnânima. A sua diocese é terra fértil. É tempo de colher o que está maduro. E não será uma colheita definitiva, mas a primeira de muitas, porque quando Deus nos escolheu nos deu sementes boas, cabe-nos sair semeando”, ressalta.

Participantes oram com a música “Só por ti, Jesus” pedindo a Deus forças para seguir até o fim

O coordenador estadual convida todos a lembrar de “quantas pessoas já colheram coisas boas através de você e olha os frutos que você já deixou através de outras pessoas”. Para ele, “é lindo ver a colheita da fraternidade. Chegou a hora de vivermos a fraternidade, e uma vez que colhemos, a colheita não deve ser guardada em armazéns”.

Com o salmo 125 (versículos 5 e 6), Evandir convoca-nos a se alegrar com as marcas da colheita, pois “a mesa está farta. É hora de repartir os frutos do Ministério de Música e Artes com todos aqueles que ainda não conhecem a Cristo. Saia daqui determinado a colher os frutos bons de sua vida, de seu ministério em seu GO, veja a mesa farta que lá existe”.

“Mas pra isso é preciso ter muita paciência, é preciso ser humilde, buscar o martírio diário. E para ser mártir nos dias de hoje basta sofrer com paciência as cruzes enviadas. Dar tudo pelo Tudo, ir até o FIM”, encerra.

Posts Relacionados

Deixe seu Comentário