Família carismática da Arquidiocese de Botucatu se reúne em Congresso

No último fim de semana (23 e 24 de junho), o Ginásio do Colégio São José, em Lençóis Paulista (SP), acolheu cerca de 500 carismáticos no IV Congresso Arquidiocesano da Renovação Carismática Católica de Botucatu. O encontro contou com as presenças do Pe. Diego Jaramillo, colombiano e pioneiro do movimento na América Latina; de Lucimar Maziero, presidente do Conselho Estadual da RCC São Paulo, e de Lucas Soares de Oliveira, coordenador arquidiocesano da RCC Botucatu.

Durante a oração da manhã no sábado, os carismáticos foram chamados a louvar a Deus por aquilo que Ele é e houve um momento de entrega à pessoa do Espírito Santo, apresentando ao Senhor todos os pensamentos, sentimentos, casas, famílias e distrações. “O Senhor da nova e eterna aliança nos reuniu nesta manhã para infundir vida em nossa alma. O louvor cura, liberta, restaura e nos abre ao Espírito!”, afirma Lucas.

Pe. Diego Jaramillo

Na primeira pregação, com o tema “Intimidade com Deus”, Pe. Diego direciona a assembleia ao reconhecimento de Deus em toda a Sua criação, para que assim pudessem ter intimidade com Ele, como discípulos amados, e experimentar o Espírito Santo. “Na intimidade com Deus, conhecemos o poder e a grandeza d’Ele. Deus fez cada um de nós como uma obra prima e, experimentando o Batismo no Espírito Santo, devemos chamar Deus de Pai a todo tempo e, assim, nos sentirmos filhos amados”.

Após a pregação, os participantes pediram, em oração, ao Senhor que selasse no coração de cada um a graça do Espírito Santo, seguindo os Seus direcionamentos para serem livres na presença d’Ele e servir aos irmãos.

O assessor eclesiástico da RCC e Vigário Geral da Arquidiocese, Mons. Carlos José de Oliveira, trouxe a mensagem do Arcebispo Metropolitano de Botucatu, Dom Maurício Grotto de Camargo, que não pode estar presente por um imprevisto de urgência, baseando-se no tema do Ano Nacional do Laicato. “A RCC na Arquidiocese precisa ser sal, luz e fermento para a Igreja e para o mundo. Igreja que é instrumento e sinal para a construção do Reino de Deus”, ressalta.

Na sua segunda pregação, Pe. Diego reflete sobre o tema do ano para a RCC Brasil “Eis que estou à porta e bato” (Ap 3, 20), fazendo um paralelo deste convite de Jesus como quando recebemos uma visita em nossa residência, vendo o que temos e o que fazemos. “O que mostraremos a Jesus quando abrirmos a porta? Devemos receber Jesus como recebemos um amigo: quanto tempo conversamos com Jesus? Muitas vezes, damos desculpas e não cumprimos com o compromisso firmado com Ele. Jesus deve ser o dono do meu tempo (sala de visitas), desejos (refeitório), pensamentos (biblioteca), bens (quarto), trabalho (escritório/oficina) e das áreas mais escondidas do meu coração”, exorta.

Durante o Congresso, no intervalo do almoço, aconteceu uma reunião de oração do Grupo de Oração Universitário (GOU) e atendimento de confissões.

A Santa Missa do sábado, presidida pelo Monsenhor Carlos, foi dedicada ao Imaculado Coração de Maria. Em sua homilia, o assessor eclesiástico convoca todos a voltar às fontes de nosso carisma, por nos aproximarmos do Jubileu de Ouro do movimento no Brasil. “Precisamos voltar às origens, porque só haverá expansão e autenticidade de vida se retornarmos continuamente ao carisma original e próprio: o Batismo no Espírito Santo. A RCC deve ser sempre esta força de avivamento que traz também a alegria contínua, mesmo em meio às dificuldades e às perseguições, em meio a uma sociedade que se torna cada vez mais contrária ao Cristianismo”, afirma.

À tarde, em sua pregação, Lucas aponta o Grupo de Oração como caminho de santidade, através da meditação sobre a Igreja de Laodiceia (Apocalipse 3,14), que era conhecida como uma cidade auto-suficiente e morta espiritualmente. O Senhor, assim, exorta os Grupos de Oração a se revestir de santidade e a serem provados pelo fogo do Espírito Santo. “O lugar que Deus escolheu para a nossa santificação é o Grupo de Oração! É através dele que nós somos provados pelo fogo! Um minuto entregue e consagrado para Deus pode transformar uma vida! Precisamos tomar atitudes para que nossa família possa contemplar a eternidade!”, declara.

Após esta pregação, foi conduzido um momento intenso de louvor, em que pedimos a graça de sermos livres no Espírito. “Nada resiste ao poder do louvor! O louvor nos direciona ao Pai, tira o foco de coisas superficiais e nos leva ao essencial, ao Senhor que tudo realiza! Precisamos ter liberdade espiritual, exultar de alegria no Senhor, assim como Maria, pois a simplicidade no louvor desconcerta Satanás!”, exclama o coordenador arquidiocesano.

Na última pregação do sábado, Pe Diego reflete sobre a ordem dada por Jesus à Igreja de Éfeso – “Converta-te e volte ao primeiro amor” (Ap 2, 4) -, além de indicar os passos do itinerário de nossa caminhada com Deus: sermos seguidores de Jesus, depois discípulos, imitadores, servos, amigos, irmãos, formando um só Corpo com Cristo e sendo parte d’Ele. “Os Grupos de Oração precisam ser uma escola em que o livro de aprendizagem deve ser Jesus. Jesus não quer que sejamos apenas discípulos de escuta, mas sim Seus amigos! Jesus tem que ser tudo em nossa vida!”, reforçou.

Com o convite “Desperta, povo meu, para o louvor e adoração” e para experimentar tudo o que o Senhor ainda tinha guardado para seu povo reunido, o Congresso Arquidiocesano iniciou suas atividades no domingo (24) com um momento de Adoração ao Santíssimo, conduzido por Lucas, Pe. Diego e Lucimar.

Neste momento, o Senhor fala sobre o despertar para o louvor, para a adoração e para a confiança em Deus, apesar de todas as dificuldades, como solidão, separação e doenças. “Precisamos crer neste Deus que é apaixonado por nós, e permitir que Ele entre em nossas corações”, diz Lucimar.

Na primeira pregação do dia, a presidente do Conselho Estadual fez uma partilha sobre a dimensão mística e o senso profético da RCC e afirma que, para voltarmos a eles, precisamos experimentar verdadeiramente o Batismo no Espírito Santo. “O próprio Espírito Santo nos direciona para o senso profético e a dimensão mística. O Batismo no Espírito Santo é um acontecimento de fé em nossa vida que, quando acontece, tira a nossa vida do comodismo, amplia a nossa visão, nos levanta e nos dá um espírito de sabedoria, e não de timidez! Temos que pedir para as nossas famílias, que estão sendo bombardeadas no mundo de hoje!”, completa.

Lucimar prega no domingo

No momento de oração seguinte, em trios, pode-se vivenciar um momento de profunda efusão no Espírito Santo, que nos ajuda a vivermos na dignidade de filhos de Deus.

Lucimar também passou alguns direcionamentos rumo ao Jubileu de Ouro da RCC Brasil e, para preparar o coração para este momento histórico, entregou nas mãos do coordenador arquidiocesano, Lucas, a Capelinha do Jubileu, lançada durante o II Encontro Nacional para Coordenadores Diocesanos, em Aparecida (SP), no dia 29 de abril. “O Senhor quer reconstruir a nós (que somos templos do Espírito Santo), nossa família, nossa casa, nossos G.O’s e a espiritualidade carismática! Precisamos viver a ‘Igreja em saída’, como nos exorta o Papa Francisco”, conta.

Antes do encerramento das atividades, houve um agradecimento especial à Laércio e Cleide, presidente e secretária-geral da RCC Lençóis Paulista, pela disponibilidade da cidade em acolher o Congresso, além da premiação do desafio #EuVou, lançado nas redes sociais da RCC da Arquidiocese, e entregue à cidade de São Manuel (SP). O primeiro inscrito online para o Congresso também foi premiado, assim como houve o sorteio de uma cesta de chocolate para ajudar o Ministério Jovem a participar do Encontro Nacional de Jovens, que acontecerá de 7 a 9 de setembro, em Santo Amaro (SP).

Como a Eucaristia é a fonte e o ápice da vida cristã, o encontro foi encerrado com a Santa Missa, que foi presidida pelo Mons. Carlos e concelebrada pelo Pe. Diego, que realizou a homilia. Esta Missa teve a participação também do seminarista Guilherme, da Comunidade Canção Nova.

Na solenidade de São João Batista, Pe. Diego destacou alguns pontos importantes para a nossa vida espiritual, dentre eles, imitar o exemplo do santo que liturgicamente celebramos, pois foi o precursor de Jesus. “A palavra “precursor” significa alguém que corre antes do outro. João Batista correu anunciando que, depois dele, vem Jesus. Quando vocês forem pregar, peçam que o espírito de João Batista vos ensinem a falar de Jesus e, assim, podemos ser precursores também! O Espírito que fala pelos profetas continua falando conosco! Se estivermos cheios do espírito de João, seremos bons evangelizadores! Não deixem apagar o primeiro amor, mas deixem o Senhor entrar e vão por todo o Estado falando de Jesus, e façam isso pela força do Espírito Santo!”, conclui.

Ao final, o Mons. Carlos, Pe. Diego e Elvis foram presentados com um ícone de Nossa Senhora de Pentecostes, para que o Paráclito venha, e venha sem demora! As crianças que participaram do Congressinho também se apresentaram, mostrando que deixaram a porta aberta para que Jesus, nosso amigão, possa entrar!

Texto e fotos: MCS/RCC Arquidiocese de Botucatu

Posts Relacionados

Deixe seu Comentário