Fernando Gomes: “RCC, não perca a liberdade que o Espírito lhe concedeu”

A “RCC, uma corrente de graça” é o tema da primeira pregação do Encontro Estadual de Lideranças da RCC São Paulo, na manhã deste sábado (03/03), ministrada por Fernando Gomes, articulador da Comissão para as Novas Comunidades. Ele destacou três pontos específicos: Renovação Carismática Católica como corrente de graça; a unidade da RCC e, Desafios e passos para uma verdadeira comunhão.

Com base na passagem de I Coríntios 12, 4 -13, o pregador disse que “há um só Deus, mas em três pessoas distintas; e da mesma forma nós: variedade de ministérios, obras e expressões, mas um só é o Senhor e um só Espírito que anima cada um de nós”.

Com relação à RCC, Fernando relembra que o Senhor deu uma vocação a ela: ser memória, sinal e rosto de Pentecostes; e questionou “qual é a diferença entre a RCC e os outros movimentos eclesiais?”. Segundo ele, a diferença está na leitura do evento de Pentecostes. “A experiência de Pentecostes está no coração da RCC através do Batismo no Espírito Santo, que se trata de uma experiência que muda a vida das pessoas”, afirmou. 

Ele lembrou os presentes de que a graça de Pentecostes não pode ser reservada apenas às pessoas que a experimentam e que “é um pedido do Papa Francisco que a RCC compartilhe com todos na Igreja a graça do Batismo no Espírito Santo”.

“Pentecostes é um patrimônio da Igreja e não da RCC; ele é uma promessa para todos. Porém, existe um povo que Deus levantou para difundir essa graça na Igreja: a RCC”, ressalta.

Durante a pregação, ele também enfatizou que o Papa Francisco pediu à RCC que redescobrisse a sua natureza, chamando o movimento de “corrente de graça”.  “Ninguém é dono dessa corrente, não tem como rompê-la, o Senhor é dono dela e todos nós somos servos dela. Fiquemos atentos para que a RCC não perca a liberdade que o Espírito lhe deu”.

O pregador descreveu ainda as diversas expressões da RCC: movimento eclesial, novas comunidades, instituições, ministérios de música, entre outras. “É preciso buscar a unidade, como pede o Papa Francisco, não somente do movimento eclesial, mas dela como um todo, porque a unidade vem do Espírito Santo, nasce da Trindade”, exortou.

Ele comparou a dimensão que a RCC tem no mundo como um grande rio, que conforme vai crescendo e tomando maior extensão, vai “crescendo braços”, que tem o seu mesmo propósito, porém segue um percurso diferente.

“Assim é a RCC, com diversas expressões, mas com o mesmo objetivo: evangelizar com poder; ela é Transversal, pois atravessa toda a Igreja; é Universal, pois é para todos; e Interdenominacional, pois existe em outras denominações cristãs”.

Conforme Fernando, nenhuma expressão carismática é a totalidade da corrente, pois toda a RCC forma esse grande rio que precisa atingir cada vez mais pessoas e, que para isso acontecer, é necessário unidade. “O primeiro passo para a unidade é a conversão do nosso coração, da nossa mentalidade; o segundo passo é crescer e amadurecer para que a graça de Pentecostes possa atingir mais pessoas”, e exclamou: “Sonhemos um Novo Pentecostes!”.

As lideranças foram incentivadas a não terem medo da diversidade, mas que se viva a unidade nessa diversidade, já que essa mesma diversidade é o que forma a Renovação Carismática Católica. Com o Salmo 45, finalizou conduzindo o povo a reconhecer que a RCC é obra de Deus e, não dos homens e, a agradecê-Lo por fazer parte dessa corrente de graça através de tantas expressões que levam Pentecostes ao mundo!

Posts relacionados

Leave a Comment