Lucimar aos artistas: “Deus não nos quer na superficialidade de um palco, nos quer na profundidade de Seu coração”

A última pregação do Congresso Estadual de Música e Artes de São Paulo, ministrada pela presidente do Conselho Estadual, Lucimar Maziero, é um convite a se aprofundar na essência de Deus, em Seu coração. Com o tema “Grupo de oração é o meu lugar” ela traçou um itinerário para os artistas viverem bem alicerçados o seu ministério e apostolado dentro do movimento.

Experiência do amor de Deus

Ao iniciar, Lucimar recorda os participantes todos os passos que o levaram a entrar em um Grupo de Oração (GO) e como essa decisão foi importante no exercício de seu ministério. Ela destaca que, “você é parte de um GO e, não apenas de um ministério ou banda. O GO é o nosso lugar; É no grupo de oração que sentimos o mover do Espírito Santo (ES) para exercermos um ministério; é lá que transborda o amor de Deus dentro da missão específica que Ele tem pra nós em qual ministério for”. E mais, “a maturidade acontece a partir do GO. Quanto mais inseridos no GO, mais acontece o transbordamento do Espírito Santo”.

Ela recorda que, conforme a apostila de formação do módulo básico da RCC, o GO é uma comunidade carismática, ou seja, “é um grupo de pessoas que cultivam a oração, a partilha, a fraternidade e todos os aspectos da vivência do Evangelho a partir da experiência do Batismo no Espírito Santo (BES)”. Dessa forma, continua ela, “a oração no GO transborda em nosso cotidiano, na vida pessoal e familiar, na minha profissão, em todos os ambientes que estou. Assim entendemos que o GO nos conduz a vivência em todos os aspectos do Evangelho. Logo, o exercício daquele serviço só tem sentido quando experimentamos em nossa vida o que é o Evangelho”.

“O GO é um momento da nossa vida que nos faz resgatar essa essência [o amor de Deus que é pleno] em nós que, esteve adormecida por uma série de fatores. Assim, o exercício do ministério precisa ser vivido na essência que nós somos, o AMOR”, completa.

Memória de Amor

Para Lucimar, recordar a nossa história de amor com Deus a partir do GO é ter uma memória de amor. Ela motiva os artistas a lembrar o primeiro dia em que estiveram em um grupo de oração e perceber o quanto aquela memória de amor leva-nos a sentir gratidão a Deus. Porque, segundo ela, “quem é grato, valoriza; é fiel ao GO. Não instrumentalizamos o GO para o nosso sucesso. Quando olhamos para o hoje, com um passado cheio de gratidão, nós não desistimos diante da cruz, da dor; nos esforçamos, lutamos, rezamos com o Senhor”.

A presidente afirma que, “o Senhor quer resgatar ainda a nossa fé. Precisamos ter a mesma fé dos mártires, de vivência e de vida. Quando isso acontece nossa visão de futuro e a nossa memória de futuro serão uma memória de esperança!”. Para exemplificar a fé dos mártires, falou de Santo Estevão que “foi mártir, porque foi testemunha de Jesus. Não negou a fé, nem a quem ele seguia e servia. Ser testemunha é ser mártir dentro dos tempos de hoje. Saia da superfície, daquilo que tem te mostrado aparência. Se você não sabe, se prostre na presença do Senhor”.

Com ênfase, ela exorta que “Deus não o trouxe aqui para ficar na superfície do palco, Ele te trouxe aqui porque o quer na profundidade do coração d’Ele. Nos quer homens e mulheres profundos na fé, que conhecem o sentimento do amado. É lindo chama-Lo de amado, mas antes, é preciso viver e testemunhar que somos do Amado”.

Se amamos o nosso Grupo de Oração não vamos ficar felizes vendo nosso ministério cheio de ‘coisas’ e o nosso grupo não tem ninguém! Eu devo ficar feliz em ensinar as pessoas a ter esperança, a louvar, a orar por meio da minha arte, da minha música, da minha expressão. Por isso, não podemos ficar na superfície”, diz.

Grupo de Oração é o meu lugar!

O Monsenhor Jonas Abib, recorda Lucimar, disse em um dos encontros nacionais que o “Grupo de oração é celeiro de Santos”. De acordo com a presidente, isso significa que o GO “é lugar onde se formam os santos e, a santidade é vista, vivida e sentida. O que é preciso exalar no momento que cada Ministério está à serviço no GO é o perfume da santidade, um sentir apaixonado por Jesus”.

Com a carta de São Paulo aos Filipenses (cap 3, versículo 8 ao 16), ela reforça que precisamos conhecer Cristo em sua essência, pois quando o conhecemos descobre-se a essência do serviço que é prestado na Igreja; com Ele descobrimos os passos futuros.

“O Senhor nos chama, RCC, a nunca de afastar do discipulado. Estamos querendo viver o apostolado sem viver o discipulado, sem aprender a ser de Cristo, a ser cristão, a ser santo. No discipulado é que adquirimos intimidade com Deus e conhecemos os sentimentos d’Ele. Quando isso acontece no discipulado, o apostolado tem um dom vocacional. Uma vocação acertada é uma vida feliz, mas não sem cruz”, sublinha.

A felicidade é consequência do BES

Lucimar alerta: “Se paramos no sofrimento é porque estamos afastados da profundidade do amor a Deus e estacionamos no primeiro encontro”.

Contudo, façamos como São Paulo afirma no versículo 12 (Fl 3, 12), “não importa o que você está vivendo hoje, se é gloria ou dor; o importante é prosseguir decididamente. Deus está falando com você que se iludiu com as luzes do palco; com a bela voz que Ele te deu; com a bela expressão que você tem. Deus fala para você que parou no sucesso. Porque isso não é nada diante do Deus que te fez. Deixa Deus ser Deus em tua vida!

É preciso resgatar a mística da vocação; é preciso redescobrir o senso profético! Ajudar com a canção ao povo rezar, ajudar a nova evangelização. É a tua vida o instrumento para missão. Ter senso profético é ser profeta e, ser profeta é sofrer pelo que anuncia. É trazer no coração a intimidade que tenho com Cristo nos dias atuais, ser Evangelho vivo. Ser profeta é viver o martírio. Não tem jeito de ser cristão sem passar pela cruz; não tem como viver a glória, sem viver a dor”, continua.

Para concluir, ela trouxe mensagens do então Papa João Paulo II em ocasiões que ele falou aos artistas. Em uma delas disse-lhes: “Não desperdice seu talento, coloque a serviço do próximo. De toda humanidade. Não desperdice seu talento conquistando o publico para si. Não desperdice o seu dom querendo um sucesso para vc. Coloque o dom da tua vida a serviço do próximo e de toda humanidade”.

Assim, Lucimar encerra a pregação convidando os ministeriados de Música e Artes a estar no coração de Jesus, mergulhar em Seu amor para serem purificados e para serem verdadeiros ministros do amor de Jesus. E o encerramento se deu com um breve momento de oração.

Posts Relacionados

Deixe seu Comentário