Lucimar exorta à RCC: “volta às origens proféticas!”

Lucimar Maziero, presidente do Conselho Estadual da RCC-SP iniciou sua pregação recordando a visualização do momento de adoração ao Santíssimo na manhã do domingo (04/03) em que “este local se transformava em um hospital e aqui o Senhor estava curando as pessoas”.

Ao citar a frase de Jim Murphy (atual presidente do ICCRS) em que ele afirmava que “celebrar um jubileu não é apenas fazer festa, mas olhar na ótica de viver uma época profética”, a presidente recordou que no ano passado celebramos 50 anos da RCC no mundo e, que neste ano nos preparamos para o Jubileu de Ouro da RCC no Brasil. Diante disso, temos uma grande responsabilidade, ressaltou usando a frase do Papa Francisco: “É importante refletir onde estamos e para onde nós vamos”.

Lucimar exclama que “Deus conta com você para este tempo profético. Senão sabemos para onde devemos ir, surgem dois riscos: não chegar a lugar nenhum e pensar que qualquer lugar está bom. Deus chama a RCC para voltar às raízes proféticas! Quando o Senhor fala isso, é porque estamos afastados e, devemos olhar essa exclamação percebendo o tamanho da confiança que o Senhor deposita em nós”.

“Outro ponto importante para nós, carismáticos, é voltar ao censo profético. Isso acontece a partir do batismo no Espírito Santo”, afirma. Ela continua: “quando falamos que nosso grupo de oração é “fogo”, devemos lembrar que o Senhor Jesus nos dá o Espírito Santo sem medida e, então, façamos a experiência do batismo no Espírito Santo que nos impulsiona a uma vida nova”.

“Devemos pensar que isso significa que em algum momento foi perdido o censo profético. Será que não foi porque fazemos muitas coisas boas, mas não conforme a vontade de Deus? Se vivemos sob a ação do Espírito Santo, o nosso comportamento, nosso coração, conseguirão ultrapassar as dificuldades e, com olhar profético, enxergar a salvação”.

Para Lucimar, “a RCC precisa contribuir na reconstrução da verdade neste tempo, Jesus é a verdade. Somos muito importantes porque nos foi confiado ser dignos de ajudar a reconstruir a verdade. Quantas ideologias tentam nos desconstruir, por isso, precisamos resgatar o censo profético que dá autoridade e, viver conduzidos pelo Espírito Santo.”

A partir da frase de Frei Raniero Cantalamessa em que ele explica que, “o Espírito Santo é especialista sobretudo nas doenças do matrimônio e da família, que são os grandes enfermos de hoje”, Lucimar frisa a necessidade de pedirmos o batismo no Espírito Santo porque, somente o Espírito Santo irá resolver tudo o que há na história da nossa vida, viver um perene pentecoste todos os dias.

Recordando outra frase de Jim em que ele disse que, é necessário “entrar na dimensão mística da RCC, olhar para a vida dos santos e perceber que o Espírito Santo sempre agiu poderosamente na vida deles”, a presidente do Conselho da RCC-SP exortou as lideranças a pensar que, “as pessoas em nosso grupo de oração desejem viver essa dimensão mística, ser mais profundo na intimidade com Deus. O censo profético dirige os passos conforme a vontade de Deus, que possamos voltar àqueles momentos de intimidade com Deus na oração”.

São três situações importantíssimas para viver uma corrente de graça: reconstruir o censo profético; entrar na dimensão mística e, olhar para nossa história com gratidão e esperança.

Lucimar nos recorda que o batismo no Espírito Santo é um acontecimento em nossa vida! Ela partilhou com as lideranças que, tem orado para que todos os grupos de oração do estado vivam plenamente essa experiência de Pentecostes. “Vamos voltar ao primeiro amor porque ainda tem pessoas que não fizeram essa experiência de amor. Olhar para nós mesmos e enxergar quantas coisas o Senhor fez e, ainda tem muito a ser feito. Completai em nós a Tua obra!”.

Ela exortou os participantes a “não viver de euforia, mas de uma experiência profunda com Deus, recuperar a dimensão mística e isso começa a partir da conversão sincera. Todos nós carismáticos não precisamos disfarçar nossa espiritualidade, mas sim viver uma conversão sincera.”

“Deus quis precisar de você como instrumento para remodelar tudo aquilo que precisa ser ordenado. Nossa vida é um instrumento em missão e nada pode nos fazer parar a missão. O ofício que Deus te confiou hoje é sagrado! Não posso viver esse ministério de outra maneira que não seja sagrada, precisamos de uma conversão sincera”, concluiu.

Posts Relacionados

Deixe seu Comentário