“Na quaresma, a família carismática é convidada a ofertar o seu genuíno louvor ao Senhor”

A partir desta quarta-feira, chamada Quarta-feira de Cinzas, toda a Igreja inicia a vivência do período quaresmal. O coordenador estadual do Ministérios Cristo Sacerdote da RCC-SP, Pe. Mariano Rodrigo da Silva SJS, nos explica o que significa este período e como podemos vivê-lo de forma concreta. Confira na mensagem abaixo:

“Para os cristãos católicos, a quaresma é um tempo litúrgico de grande riqueza espiritual; são quarenta dias considerados à luz do simbolismo bíblico, que provocam uma observância preparatória para a Páscoa do Senhor.

A Quaresma tem um período que decorre da Quarta-feira de Cinzas até ao VI Domingo, que dá início à semana santa, é chamado ‘Domingo de Ramos e Paixão do Senhor’. Esse tempo litúrgico, antes de qualquer coisa, tem o seu teor pascal – batismal que faz o cristão voltar-se para esses dois eventos: a páscoa do Senhor e o batismo recebido.

Nesse período quaresmal, somos convidados a experienciar de forma mais viva a participação no mistério pascal de Cristo: “participamos dos seus sofrimentos para participarmos também da sua glória (Rm 8,17)”. Tempo que Cristo purifica a Igreja, sua esposa (cf. Ef 5, 25-27). O acento está na ação purificadora e santificadora do Senhor; as obras penitenciais são o sinal da participação no mistério de Cristo que, por nossa causa, se faz penitente recorrendo ao jejum no deserto.

E nesse ano jubilar de ouro da RCC no Brasil e de São Paulo, a família carismática é convidada a ofertar o seu genuíno louvor ao Senhor, por isso caríssimo (a) irmão (ã) carismático (a), permita que o Espírito Santo nessa quaresma, na qual, mediante o jejum, a oração e a esmola, te faça um chamamento à conversão e ao louvor.  Somente percorrendo o caminho de verdadeira conversão é que se pode gerar transformação e restauração no coração do cristão, através do arrependimento e perdão divino.

Acolhamos o apelo do Papa Francisco, que na sua mensagem para a quaresma diz a toda a Igreja do Senhor: “Abandonemos o egoísmo, o olhar fixo em nós mesmos, e voltemo-nos para a páscoa de Jesus; façamo-nos próximo dos irmãos e irmãs em dificuldade, partilhando com eles os nossos bens espirituais e materiais. Assim, acolhendo na nossa vida concreta a vitória de Cristo sobre a criação, a sua força transformadora.”

Imagem: Divulgação/Internet

Posts Relacionados

Deixe seu Comentário