Para Huanderson “a RCC foi levantada na Igreja para ser um elo de unidade entre os cristãos”

A última pregação do sábado (16/09) foi ministrada por Huanderson Leite, articulador estadual da Comissão para o Diálogo Ecumênico da RCC-SP, com o tema “Pai que todos sejam um”.

Huanderson pregou com a passagem do Evangelho de São João ( Jo 17, vers. 20), a conhecida Oração Sacerdotal de Jesus. Explicou que esse texto está dentro de um contexto (uma sequência de textos) conhecido como Discurso de Despedida de Jesus e, portanto, segundo a tradição judaica, pode ser considerado o testamento de Jesus, que foi lido aos seus discípulos, pouco antes de sua morte. “Esse texto é o testamento de Jesus: no testamento, encontramos uma herança que é deixada para nós!”, enfatizou.

Desse modo, o pregador disse que, assim como “o Paráclito nos foi dado como uma herança”, nesse texto, Jesus “intercede pelas gerações que o acompanham e pelas gerações que viriam a seguí-lo”, para que todos sejam um, perfeitos na unidade.

“Nesse contexto de despedida, de herança do testamento, podemos afirmar que a unidade entre nós, cristãos, é vontade de Deus e foi deixada como herança para cada um de nós”, ressaltou.

Em seguida, falou que a unidade precisa ser vivida em todas as realidades: dentro da casa, dentro da comunidade paroquial, dentro dos Grupos de Oração, nas diversas instâncias do movimento etc, e explicou: “a unidade não começa de fora para dentro, mas é um mover do Espírito que começa de dentro para fora”.

Em alta voz, conclamou a todos os carismáticos: “Nós precisamos ser, no mundo, um sinal de unidade!”.

Disse da importância que todos tenham claramente a certeza de que “a unidade é vontade de Jesus para nós” e continuou: “aquilo que se opõe a unidade é a divisão, ou seja, não é vontade de Jesus para nós: e a palavra divisão está associada a diabo, que é aquele que divide”.

“Nosso Pai não se contenta em nos ver divididos!”, alertou; e continuou afirmando que “nós, cristãos, ainda estamos completamente divididos: justificamos essa divisão na necessidade de defender a nossa fé e usamos um discurso de ódio, que nos divide ainda mais. Precisamos rever isso!”.

Falando do pedido do Papa Francisco à RCC, na Vigília de Pentecostes, em Roma, em junho deste ano, pedindo que os carismáticos vivam o ecumenismo espiritual, na “diversidade reconciliada”, Huanderson proclamou: “nós fazemos parte desse movimento de unidade na Igreja!” 

O pregador lembrou, ainda, que o Magistério católico recente nos chama à unidade e citou uma frase de Santa Teresa D’Ávila: “Eu prefiro errar com a Igreja do que acertar fora dela”.

Disse que a RCC possui abertura plena ao Espírito Santo, aquele é promotor da unidade no Corpo Místico de Cristo e, por isso, todos os carismáticos precisam ser promotores de unidade. “A RCC foi levantada na Igreja para ser um elo de unidade entre os cristãos!”.

Enfatizou a importância da RCC viver o Ecumenismo, diante do pedido dos Papas e exortou: “o ecumenismo não faz de você menos católico! Só tem medo do Ecumenismo quem tem medo de deixar de ser católico. Ecumenismo vem de um sincero desejo de união, comunhão e uma profunda experiência de conversão interior”, finalizou.

Durante sua pregação, Huanderson convidou o Pastor Efigênio Pereira dos Santos, presidente fundador do Instituto Unidos pela Vida, para dar seu testemunho. Antes disso, porém, Huanderson disse: “Assim como eu, um dia, tive vontade de exterminar todos os evangélicos, ele também teve vontade de exterminar os católicos. Hoje nós exterminamos o ódio entre os cristãos!”, declarou.

Em seu testemunho, o pastor disse que se perdeu nas drogas, viveu várias dificuldades e, após se converter, tornou-se evangélico e pregava radicalmente contra os católicos, até que um dia, rezando num monte, no meio do mato, encontrou uma Bíblia, e quando a pegou nas mãos, abriu na passagem de João 17 e ouviu uma voz forte que lhe dizia: “Como você se sentiria se alguém falasse mal de sua esposa?”, e em seguida, Jesus lhe falou: “Pois era isso que você estava fazendo, falando da minha esposa!”.

A partir de então, o pastor tem se dedicado à unidade da Igreja de Cristo, realizando “Cruzadas da Unidade do Corpo de Cristo” e do grupo ecumênico “Encristus”, do qual também participam vários carismáticos, em busca da unidade dos cristãos.

O pastor ainda alertou a todos sobre divisões na família por questões de religião e bradou: É tempo de unidade!”. E profetizou: “aqui se levanta uma nova geração para ser embaixadora da unidade!”, finalizou.

Em unidade, o pastor Efigênio, Huanderson, juntamente com Lucimar Maziero, Marcelo Marangon e Reinaldo Beserra dos Reis conduziram um momento de oração, declarando que “Jesus é o Senhor!”.

Para encerrar, Reinaldo Beserra, pioneiro da RCC no Brasil, que participa do Encristus há 10 anos, declarou: “Nós queremos primeiro nos amar, depois resolver conflitos! E começamos por aquilo que já podemos fazer juntos: adorar ao Senhor, partilhar da mesa da Palavra, cantar ao nosso Deus”.

Finalizando esse momento profético e histórico, Reinaldo bradou: “A guerra acabou!” e todos cantaram, rendendo graças a Deus: “Quão grande és Tu, Senhor!”.

Posts relacionados

Leave a Comment