Para Reinaldo: “Maria é o modelo de carismática”

“O que o Cenáculo tem haver com a vida carismática?”. Reinaldo Beserra, pioneiro da RCC de São Paulo e do Brasil, começa a pregação falando da importância do Cenáculo para a Renovação Carismática Católica. Ele declara que este evento é modelo daquilo que a RCC oferece ao povo de Deus.  “O Cenáculo é como a radiografia do DNA da RCC. O Cenáculo é uma foto, um retrato da nossa identidade, daquilo que queremos ser”, completa.

Ele conta o que caracteriza uma pessoa que tem uma vida carismática: “É quem acredita que é possível receber continuamente a graça do Espírito Santo em sua vida. É aquele que acredita que, o evento histórico de Pentecostes não encerrou o que o Espírito Santo tem para derramar sobre a humanidade e sobre a Igreja. É aquele que acredita que é possível viver constantemente sob a efusão do Espírito Santo; o carismático é aquele que acredita que o evento de Pentecostes não encerrou o que o Espírito Santo tem para derramar sobre a humanidade e sobre a Igreja”. Para ele, esta é a grande novidade que a Renovação veio relembrar à Igreja.

É no Cenáculo que se inicia esse processo de possibilidade de contínua repleção do Espírito Santo (ES). Reinaldo explica que “Maria já foi replenada pelo ES na encarnação; o anjo já a encontra cheia de graça. Estamos falando de uma repleção como dom. E esta Maria está presente agora no Cenáculo, onde fica [novamente] cheia do ES”. Ao ler a passagem do livro de Atos dos Apóstolos, capítulo 2, ele reforça que Maria é uma das mulheres presentes ali.

Citando o documento Lumen Gentium (Luz dos Povos), o pregador destaca o que a Igreja diz sobre esse fenômeno espiritual: “Maria estava no Cenáculo com sua atitude suplicante à espera daquilo que Ela já recebera (LG, p.59)” e ele exclama que, “é aí que começa a nossa identidade carismática! Maria é esse protótipo de carismática; é Ela que deixa para nós o rastro de como se encher do ES continuamente”.

Beserra cita ainda a Carta Encíclica Redemptoris Missio (A missão de Cristo Redentor) do Papa João Paulo II: “Como os apóstolos, depois da ascensão de Cristo, a Igreja deve reunir-se no Cenáculo com Maria, a mãe de Jesus para implorar o ES e obter força e coragem para cumprir o mandato missionário” e parafraseando o então Papa Bento XVI, completa: “Não existe Igreja sem Pentecostes e, não existe Pentecostes sem Maria”.

O Espírito Santo da mais ou menos para nós dependendo apenas da nossa abertura, Ele respeita a nossa entrega”. O pregador enfatiza o quanto somos limitados e precisamos do Espírito Santo ao recordar Santo Agostinho: “Somente Jesus não precisa de mais do Espírito Santo porque Ele é um com ele; nós que precisamos, e não porque Ele é limitado em dar-se, mas porque nós somos limitados em receber”. E nossa entrega deve ser grandiosa e totalmente dependente do Espírito.

Antes de começar a oração, Reinaldo fez questão de lembrar São Tomás de Aquino repetindo com o Santo que “A cada nova missão [é o caso de Maria] deve corresponder a uma nova efusão”, e pediu para que as pessoas presentes fossem como “Ananias” na vida do próximo – um grande intercessor – exatamente como todos precisam. Beserra ainda pede para que a oração seja com imposição de mãos entre os irmãos e que, este momento é necessário para Deus fazer a obra dele neste Cenáculo de Ouro.

A Renovação Carismática Católica de São Paulo reuniu neste domingo (15/09) cerca de 30 mil pessoas, na Arena Barueri, para celebrar os 50 anos de história do movimento no estado e no país.

Posts relacionados

Leave a Comment