Pe. Alberto Gambarini exorta lideranças a ser como “tochas de fogo” em dioceses

pe.AlbertoGambarini_EEL2017_FotoEdsonHengles

Grande incentivador do movimento, o Pe. Alberto Gambarini definiu os carismáticos como aqueles que não precisam ser chamados a anunciar Jesus, pois são "impulsionados pelo próprio Espírito Santo". Ele presidiu a Missa de Encerramento do Encontro de Lideranças da Renovação Carismática de São Paulo, em Aparecida (SP). Está é a segunda edição do encontro que reúne as lideranças do movimento.

De acordo com Pe. Alberto, este tempo de Jubileu de Ouro, de comemoração dos 50 anos da RCC, é um tempo de três ações: AMAR, PERDOAR e SERVIR. “Não deixe o inimigo dizer que você não conseguirá, não deixe que ele coloque nos teus ombros aquilo que Jesus já carregou na cruz por nós”, ressalta.

Durante a homilia, ele disse às lideranças que, a samaritana presente no Evangelho deste 3º Domingo da Quaresma representa cada um de nós, chamado por Jesus. Nosso Senhor apenas pede “dá-me de beber”, sem olhar quem ela era. Simplesmente, pelo fato de saber que ali existia alguém que precisava ser salvo. “Deus quis que vocês viessem aqui no Encontro Estadual de Lideranças para que, o que foi ouvido, se transforme em fonte de graças para todas as Dioceses”.

Ao citar o Papa Francisco que confirmou a Renovação Carismática Católica como uma corrente de graças para a Igreja, Padre Alberto Gambarini fez um alerta para que essa corrente de águas vivas não se torne uma água parada, impura. “Não podemos brincar de ser carismáticos, pois este foi o meio que Deus usou para que tenhamos uma experiência com Ele, que muda nossa vida e que anunciamos a todos”.

Ao ter o encontro com Jesus, antes de anunciar, a samaritana deixa o jarro no chão – cena que, em nossa vida pode ser comparada a tantas coisas sem importância – que, precisamos deixar aos pés de Nossa Senhora para seguir seu Filho. “Saia das tuas certezas, do seu medo e insegurança. Leve o anúncio de Jesus com ousadia, seja uma tocha de fogo do Espírito Santo”, frisou.

Ao fim da homilia, os coordenadores diocesanos, de ministérios e de grupos de oração foram convidados a viver a unidade – característica marcante nos pioneiros do movimento –, a levar Pentecostes para toda a Igreja e incendiar o mundo. 

O sacerdote encerrou a homilia com um recado especial às novas comunidades: “Novas comunidades, vocês são uma riqueza dentro da Renovação Carismática, nasceram da beleza do movimento nestes 50 anos. Não se transformem em outros movimentos. Vamos nos unir!”.

Foto: Fanpage Padre Alberto Gambarini/Edson Hengles

Posts Relacionados

Deixe seu Comentário