“Quando aceitarmos o Senhor, Ele fará a transformação”, afirma Fernando Coutinho em Congresso Diocesano

Com o tema “Eis que estou à porta e bato (Ap 3,20)”, aconteceu neste fim de semana o Congresso Diocesano da RCC Araçatuba. O evento foi realizado na cidade de Lavínia (SP) e reuniu cerca de 250 membros do movimento na diocese. Na manhã de sábado (16/06), a oração inicial teve como motivação o Salmo 62, versículos do 1 ao 8, já agradecendo ao Senhor por tudo que Ele fará neste Congresso. As pregações deste dia foram conduzidas pela presidente do Conselho Estadual da RCC São Paulo, Lucimar Maziero.

Sábado

Lucimar conduz pregações do sábado (16)

Na primeira pregação, Lucimar chama os servos a ter intimidade com Deus. “Neste ano de 2018, foi discernido que as dioceses fariam seus congressos diocesanos com o objetivo de unir toda a Renovação”, para que se tenha o mesmo direcionamento em todos os lugares. Ela recordou as profecias para este ano, dentre elas: “renovar a Aliança que Deus fez conosco”; “somos verdadeiramente chamados a estar na intimidade com o Senhor”; “Deus quer mostrar um modelo de intimidade”.

Ela pontua cada uma das profecias. “O Senhor nos chama a mergulhar nossas misérias em sua misericórdia. Quando Deus nos chama a renovar sua aliança com Ele, na verdade, nos chama a ser Santos, por isso não posso levar minha vida de qualquer jeito e, somente vivendo a intimidade com Deus, alcançaremos a santidade”, exorta. Segunda ela, Deus quer se presentear a nós, nos ensinar a rezar de modo diferente, nos levar ao mistério, e Ele nos pede: “Orem pelo Brasil, voltem a adorar e orar, se apressem, busquem mais a mim! Um povo que vive uma intimidade divina é um povo feliz, que mesmo com o pesar da Cruz, testemunha a alegria de ser de Deus, resolvendo os problemas deste mundo na ótica do Evangelho, amando as pessoas, nosso Grupo de Oração, amando Jesus nos irmãos”.

Com o tema sobre a Conversão, a presidente deu início à segunda pregação do dia. A Palavra de direcionamento está no livro do Apocalipse, capítulo 2, versículos 1 a 4. “O que o Senhor quer de nós?”, indaga respondendo que, Ele espera “uma conversão sincera, que voltemos ao primeiro amor e, que muitas vezes, para isso precisamos se arrepender de atitudes que estamos tendo. Muitas vezes falamos bonito, mas vivemos feio. Precisamos mudar a nossa mentalidade, viver a verdade! Somos cristãos por nossas atitudes. Na cruz, Jesus amou mais que sofreu, olhemos para o exemplo d’Ele e amemos mais do que sofremos. Seja a diferença!”.

Na terceira, o tema abordado foi “A Dimensão mística e o senso profético da Renovação Carismática”. Para ela, viver o senso profético é estar sempre em oração a serviço do irmão, é rezar com Fé! Conforme Lucimar, “temos que ser incansáveis na vida de oração, como RCC somos chamados a rezar!”. Ela recorda os servos que, o Papa Francisco diz que a RCC redescobriu na Igreja o poder do Louvor! “Quando você não sabe como resolver um problema: Reze! O Espírito Santo age em você mais do que pode imaginar! O que é agir profeticamente? É pedir o Espírito Santo, e para voltar às raízes proféticas é só pedindo a graça do batismo no Espírito”.

A última pregação do sábado foi ministrada por Fernando Coutinho, presidente diocesano da RCC Araçatuba e coordenador estadual do Ministério de Formação, sobre o tema central do congresso. Com a passagem do livro do Apocalipse capítulo 3, versículos 14 a 22, Fernando afirma que “estamos desviando nosso olhar do Senhor. No plano de Deus, existe a hora para tudo acontecer. ‘Eis que estou à porta e bato’ é porque existem muitos corações que ainda não se abriram ao Senhor. Ouvindo ao Senhor ele falará aos nossos ouvidos. Quando aceitarmos ao Senhor, Ele fará a transformação em nossos corações”. Ao fim da pregação, o coordenador levou os servos a adorar Jesus Eucarístico.

Domingo

Na manhã de domingo (17/06), Marcelo Marangon – secretário-geral do Conselho Estadual da RCC São Paulo – conduziu a Adoração ao Santíssimo. A quinta pregação do congresso ministrada por ele, teve como tema “Grupo de Oração, um celeiro de Santidade”. De acordo com ele, esta pregação será uma espécie de bússola para os grupos, assim como a Palavra de Deus é a bússola do Cristão. Ele explica que muitos grupos de oração estão sendo desfigurados, por isso, de tempos em tempos o Senhor Jesus quer nos colocar no caminho.

“Um Grupo de Oração tem uma identidade, uma missão e uma vocação. A identidade: é o Batismo no Espírito Santo. A missão: é tornar o Espírito Santo amado e conhecido através da cultura de Pentecostes. A vocação da RCC é salvar almas”, pontua. Marcelo pergunta: quantas almas você trouxe para Jesus? É necessário pensar sobre isso. Conforme ele, o coordenador do grupo tem responsabilidade espiritual sobre as almas e será cobrado por isso.

Ele reforça que, “a missão, a vocação e a identidade da RCC não podem ser desfeitas nunca. Toda semana precisa acontecer o batismo no grupo. Tudo acontece num grupo, por isso, precisamos insistir para que as pessoas não faltem. Qual o objetivo do Grupo: invadir o território do inimigo e trazer almas para Cristo! Existem alguns elementos essências do grupo, como: atualizar a graça de Deus; o louvor; exercícios dos carismas”.

Marcelo fala algo muito importante para os servos: dói servir ao Senhor, mas é preciso servir até doer. Creia no Senhor Jesus e será salvo tu e tua família.

Com informações e fotos de MCS/RCC Diocese de Araçatuba.

Posts relacionados

Leave a Comment