Série ‘O Amor na Família’: Socorro me casei… e agora?

Na verdade este é o questionamento que é gerado dentro de nós, quando nos casamos!

Ov que fazer? Como fazer? Será que vai dar certo?

Quando estamos solteiros, temos nossas coisas, tomamos as nossas decisões individualmente na maioria das vezes. O namoro, mesmo que já tenha algum tempo, ainda é a fase da conquista, onde não se tem o outro por completo, pelo menos deveria ser assim. Se acontecer um desentendimento cada um vai para a sua casa e tudo está resolvido .

Mas quando nos casamos temos alguns desafios a serem vencidos. Selecionamos entre vários, os quatro que consideramos os mais complexos para o início da vida matrimonial.

1 – A Convivência:

Tornar esse convívio sadio, com todas as diferenças, personalidades, temperamentos  pode não ser tão fácil. Por isso a necessidade da compreensão de ambos os lados de entender que o outro é uma pessoa, tem seus limites, seu jeito, sua criação, etc. Aqui é necessário muitas vezes ceder , para que o outro seja feliz !

Já não somos mais dois, nos tornamos um com a benção de Deus, porém não deixamos de ser quem sempre somos porque casamos, temos uma identidade  e ela, com certeza, se mostrará mais evidente,  agora casados, do que quando solteiros

2 – Desafios afetivos:

Precisamos lembrar que Deus nos criou à sua imagem e semelhança ( cf Gn1,26) e Deus é amor. Sendo assim, somos seres afetivos com necessidade de sermos amados e de amar.

Quando casamos, este lado afetivo pode ser um grande desafio a ser vencido, porque como dissemos, cada um tem um jeito de ser, de se relacionar e, às vezes, esperamos do outro aquilo que ele não está preparado para nos dar, talvez ele não tenha aprendido a ser assim e talvez não tenha vivido algo em sua criação. Então, aqui encontramos a necessidade de compreensão e entender que, às vezes, o outro não está te rejeitando, mas não tem hábitos de demonstrar carinho.

3 – Intimidade do Casal:

Aqui, há vários desafios a serem vencidos, mas vamos tratar apenas de um. A vida conjugal do casal, sem contraceptivos! Porque isso é um desafio? Porque o cristão sabe que a Igreja rejeita o uso de contraceptivos e a sociedade quer de todas as formas nos levar a achar que usá-los é algo normal.

E aí para nós, eis que surge o MOB – Método de Ovulação Billings. Muitos acham que é tabelinha, mas não é. Trata-se de um método natural que educa muito o casal para sua vida sexual, para o planejamento familiar e não provoca danos a saúde.

Este método faz com que o casal entenda juntos que, a mulher tem um tempo, que seu corpo é preparado para o ato sexual e, ao mesmo tempo, nos educa para um equilíbrio. Também faz com que a mulher conheça seu corpo e os sinais que ele dá de sua fertilidade. Vale a pena se aprofundar e conhecer mais o MOB.

4 – A Vida Financeira:

Este também é um grande desafio a ser vencido, porque os índices dizem que uma das maiores causas dos divórcios de hoje tem o seu motivo na vida financeira. Muitos acabam se endividando por muitas causas e isso traz um certo desconforto para a vida dos casais. Que este não seja um motivo para separar o que Deus uniu. O dinheiro é importante sim, mas o que une um casal em matrimônio é o AMOR e este suporta todas as coisas!

Contudo, é bem importante olhar para este lado da vida a dois, e saber ter equilíbrio e saber administrar a vida financeira. Ter pé no chão ajudará muito o casal que está iniciando um matrimônio, principalmente, os jovens que por muitas vezes são tomados por impulsos.

Haveria muitos outros desafios a serem partilhados aqui! Porém, acreditamos que para um início de casamento esses seriam os mais complicados.

Mas, como para tudo há uma solução, aqui vão duas palavrinhas que tornarão todos esses desafios mais fáceis de se resolver: DEUS E DIÁLOGO!

DEUS, PORQUE DELE, POR ELE E PARA ELE SÃO TODAS AS COISAS!

DIÁLOGO, PORQUE NÃO HÁ UMA RELAÇÃO QUE SE SUSTENTE SEM OUVIR E FALAR!

QUE DEUS NOS ABENÇOE NESTA ETAPA DE NOSSAS VIDAS!

 

 

Adriano Gonçalves e Bárbara Elisa Souza
Ministério Jovem – RCC Estado de São Paulo
Grupo de Oração Aviva Sentinela – Diocese de Jundiaí

Posts Relacionados

Deixe seu Comentário